Blog do Rafael Cortez

05/04/2007

Leandro Medina

Ontem fui ao SESC Pinheiros assistir ao show do Leandro Medina. O Leandro é um cara de Belém do Pará, jovem, de uns 30 e poucos anos, casado com uma mulher linda (a Renata) e pai de um menino de 3 anos de idade – o Zabelê.

 

Ocorre que o Leandro é um cara e tanto. Eu o conheço desde 1998, quando ele chefiava um bando de jovens que tocava maracatu pela Vila Madalena. Era o Bloco do Baque Bolado, grupo de percussão que existe até hoje, e que agora expandiu suas experiências artísticas para o circo e teatro também.

 

O Leandro era o cérebro e o coração do Baque Bolado. O capitão. Ia na frente da trupe toda marcando ritmos, dançando (bem) com as meninas (todas muito sensuais, por sinal) e entoando loas que eram composições dele mesmo. Em curto tempo o pessoal do Baque Bolado estava junto com a turma da Cia. Cênica Nau de Ícaros, sediada então na Rua Girassol, 323. Juntos, os grupos fizeram um espetáculo que era lindo – o Quase Uma. Uma mistura bacana de circo com música e danças brasileiras. E eu era o produtor da moçada, trabalhando ativamente no galpão da turma. E feliz da vida!

 

Naquela época em que trabalhei no galpão Nau de Ícaros, tive a oportunidade de conhecer um bocado de gente talentosa. A maior parte desse pessoal está se dando bem por aí – os melhores percussionistas do Baque hoje trabalham com pessoas legais da MPB : Badi Assad, Ney Matogrosso, Céu e outras figuras. Há uma parte da galera que seguiu com o Baque Bolado, e outra que se reuniu sob o comando talentoso do Fernando Barba, nos Barbatuques. O pessoal da ala circense também cresceu muito: a Nau de Ícaros saiu da Girassol, 323, enxugou o número de componentes e só melhorou. Viajou pela Europa, Colômbia e teve o mais recente espetáculo dirigido pelo José Possi Neto. Outras figuras que viviam nas aulas (e espetáculos) da Nau, hj seguem carreira em grupos e circos diversos. Tem nego no Soleil, no Fractons, no Fratelli, no Zani, no NaMacaca e em muitos outros. Todo mundo, salvo raras exceções, cresceu e aprofundou o trabalho que já era legal. 

 

Mas o Leandro é um caso à parte. Estou falando de um caso raro de compositor que une, com maestria, a letra à melodia. Ele é, para mim, o maior compositor da nova geração. E digo isso sem pretender conhecer a nova geração toda, sem me gabar de ter o máximo de critérios para fazer tal julgamento. Digo que ele é o maior cara hj pq ele é o maior cara para mim, e isso me convence. Bem, eu posso me basear em fatos que comprovam isso. Sem fazer jabá com ninguém, o Leandróide foi até a semi-final do Festival da Cultura, em 2005. E, no ano passado, esteve nas eliminatórias do Prêmio Visa – edição compositores. Para mim, ele dava um pau nos outros concorrentes. Mas, como era de se esperar, a premiação aconteceu com as velhas cartas marcadas que imperam na música de hj.

 

No show de ontem, no auditório do SESC Pinheiros, o Leandro mostrou um pouco das músicas que eu ouço com um sorriso que vai de orelha a orelha. Tinha pouco mais de 50 pessoas lá, num espaço que cabem 100. Uma pena. Mas era quarta feira, numa semana que tem feriado... mas, mesmo assim, o cara arrasou e deixou a gente com uma sensação de exclusividade absoluta. O show, além de ser ótimo, era praticamente só nosso!

 

Como sempre há gente muito boa ao lado de quem é muito bom, a apresentação do Leandro foi abrilhantada pelo talento da Fabiana Cozza. O que dizer dessa cantora? Começa que ela é linda, tem um corpão, cabelão, bocona, parece uma deusa. E que voz! A gente quer roubar a garganta dela e levar p/ casa, entende? Não bastasse tudo isso, a danada tem uma presença de palco que eu não via numa artista desde a época dos primeiros shows da Badi Assad. Coisa de louco.

 

É, meus amigos... guardem esse nome. E o acompanhem: Leandro Medina. Finalmente a gente tem um grande artista jovem para celebrar! 

Por Rafael Cortez às 14h23

Sobre o autor

Rafael Cortez, 33 anos, ator, jornalista e violonista.

Já foi redator de texto erótico para celular, produtor de teatro, circo e TV, assessor parlamentar de uma vereadora de São Paulo, atendente de videolocadora, organizador de mais de 60 festinhas infantis e tem DRT de Palhaço. Gosta de Nara Leão, Public Enemy, lasanha e que cocem suas costas com as unhas. Está na TV como um dos repórteres do programa CQC, da Tv Bandeirantes.

Sobre o blog

Espaço para textos reflexivos, ácidos e que busquem alguma inteligência. Local para reflexões artísticas e culturais diversas. Não, aqui você não encontrará fofocas sobre o meio das celebridades. Não, aqui você não verá piadas a todo tempo... Mas se o autor se esforçar, você poderá ler alguma coisa boa. E contribuir comentando com algo melhor...

Histórico