Blog do Rafael Cortez

05/09/2008

Foi assim...

Bem, vcs me conhecem. Sabem que eu não falo nada sobre uma matéria minha antes dela ir ao ar... a menos que alguém fale dela antes publicamente. Aí que tá: deu na imprensa o que a gente fez em Veneza. Quem fuçou um pouco na internet ou viu a coluna da Mônica Bergamo hj na Folha de São Paulo já sabe parte do que verá na segunda. Logo, nada mais justo que dividir alguma coisa com vcs.

É, fui a Veneza cobrir a 65a edição do Festival Internacional de Cinema da cidade. Vcs acompanharam por aqui que eu estava embasbacado com a beleza do lugar; com Lido; com as mulheres italianas; com toda aquela magia que só se vê na terra da lazanha... mas nada de comentar o que tava rolando...

Foi assim: eu fui mesmo parar na delegacia de Lido depois de fazer uma coisa inacreditável. A mais cara de pau e sem noção da minha carreira no CQC até agora. Entrei no Red carpet - o Tapete Vermelho do Festival. Símbolo máximo do glamour e do poder das celebridades da Sétima Arte. Como eu fiz isso vcs verão segunda no programa. Sei que deu certo... e que eu me vi ali, a poucos metros de George Clooney e Brad Pitt. De duas uma: ou eu entrava na sala de exibição do filme deles e ficava lá sem fazer nada (o Pedrinho, nosso câmera, tava do lado de fora... e eu não teria como fazer registros de nada lá dentro) ou eu os abordava no próprio Tapete Vermelho, em meio a seguranças mil, assessores e policiais italianos. Saquei o microfone que estava escondido no terno e fui pro abraço. Não deu outra: cheguei perto sim, mostrei os presentes que tinha levado, tentei fazer perguntas... mas fui retirado do local por uns truculentos gambés da Itália.

Essa parte não tem na matéria que vcs verão. Ninguém da nossa equipe me viu sendo levado pela polícia. Fui retirado pelos fundos do prédio e levado à delegacia de Lido.

Nenhum dos caras falava inglês. E meu italiano só serve para elogiar macarrão e cantar Tarantela. Por sorte o delegado era mais gente boa e falava alguma coisa da língua americana. Foi ele quem acalmou os demais colegas - eles tavam putos. Me acharam muito, mas muito folgado. E não estavam acreditando: afinal, nunca tinham visto isso acontecer. Aliás, que eu me lembre isso nunca aconteceu mesmo. Não me recordo de ter visto nenhum jornalista, de qualquer programa e gênero que seja, fazer algo tão arriscado...uma vez que se está no Red Carpet e se resolve assumir a identidade jornalística empunhando um microfone no meio de tanto grandalhão, é fato que se opta por uma exposição que dá alguma merda.   

Conversa vai, conversa vem... e eu morrendo de medo de mostrar meu passaporte e minha credencial que eles tanto pediam. Tinha medo de ser deportado, sei lá... essas coisas podem ser banais em alguns lugares... e sérias demais em outros! E perder a credencial no primeiro dia do evento? Não dava... se bem que eles a tomaram de mim dias depois sim...

Foi só qdo me senti mais à vontade com o delegado de Lido que achei - por puro acaso! - meu passaporte em um bolso do terno. Ele riu: "nossa... apareceu, né?" E eu: "Pois é... que coisa..."

Tiraram uma xerox do meu passaporte, me fizeram uma série de perguntas e, passada mais ou menos uma hora, finalmente fui liberado. Mas antes de ir, um policial dos mais mau-encarados me falou assim:

"Eu sei que vc não fala italiano, mas vou te dar um recado na minha língua e sei que vc vai entender. Vc teve sorte de passar por esse delegado. Se fosse eu, vc tomava dois tapas na cara e ia preso. Capíti??????"

Acreditem: entendi cada palavra...

Por fim, não percam a matéria na segunda. Tem muito mais coisa, como as perguntas que fiz ao Clooney, Pitt e aquela gostosa da Charlize Teron. Ah, e levem de bônus umas fotinhos da viagem!

Abraços

Rafa  

             

Encontro do CQC Brasil com o CQC Espanha 

Agradável passeio de gôndola em Veneza

CQC Brasil em Veneza: Goncchi, eu e Pedrinho

Eu na Praça São Marco

 

Por Rafael Cortez às 11h00

02/09/2008

Fim de Veneza

Daqui a pouco pego o aviao para Madri... e depois, tres horas mais tarde, o de Madri para SP... mais 11 horas de voo e to em casa. Sera preciso dormir muito para compensar todas as horas de sono perdidas e para reanimar o corpo depois de tanto fuso-horario, de tanto andar, de tanto suar e de tanto correr.

Nosso trampo em Veneza foi muito legal. Trabalhoso como sempre - na real, um pouco mais. Era uma pauta internacional com personagens internacionais... e eu tive de falar 4 linguas diferentes (ingles, portugues, rafaliano - a minha versao de italiano - e espanhol), comer massa todo dia, dividir quarto com dois machos fedidos, beber cerveja morna nas noites estupidamente quentes de Lido, perseguir famosos, pensar em estrategias, etc, etc... em resumo: foi demais!

To com saudades de casa, de tomar um choppe na Vila Madalena, de gravar com os brothers que ficaram, de ver gente que fala a minha lingua... mas vou ficar com ainda mais saudades desse povo italiano louco e meio fanfarrao demais... das gondolas de Veneza contrastando com construcoes seculares perdidas em meio a 118 ilhotas unidas por pontes mil... vou lembrar com carinho da Praca Sao Marco e de toda aquela gente se amontoando no meio dos pombos pra dar comida. Vou lembrar sempre que Lido eh linda, que as aguas que correm no meio de Veneza nao sao fedidas como dizem; que as italianas sao umas gatas - apesar de um tanto entojadas...

O bom agora eh saber que essa foi mais uma viagem entre muitas que ainda farei. E que estar com esses caras aqui - Gonchi e Pedrinho - em meio a um trampo como o nosso, num programa como esse - que a gente ama tanto - nao tem preco no mundo!

Um abraco

Rafa 

Por Rafael Cortez às 10h04

31/08/2008

Mais da Italia

Continuo aqui na Italia trabalhando bastante. Mas agora tudo eh mais legal:  ja estamos com quase tudo pronto para finalizar nossa materia principal. Temos mais algumas entrevistas a fazer e ai voltamos ao Brasil.

Nem tenho palavras para dizer o que eh tudo o que tenho visto. Tentarei fazer um relato mais completo qdo voltar pq tenho poucos minutos de internet aqui.

Na real, em Veneza tudo eh tao caro que desestimula. Mas ai vc olha ppro lado e ve que a Italia eh foda... e essa qualidade estetica se ve em tudo que passou diante dos meus olhos nos utimos dias. Da galera linda de Lido a toda excepcional beleza de tudo, com suas pontes, pracas e esculturas fenomenais... Tem que ser visto!

Sei que meus relatos estao bem superficiais, mas realmente nao tenho tempo pra me aprofundar. Nos falamos mesmo na volta?

valeu pra galera que me viu na Cicarelli nesse domingo. Deixa eu dizer uma coisa sobre ela: a Cica eh foda... muito gata... e muito, mas muito gente boa! Uma grata surpresa nesse meio de televisao!

Um abraco !

Rafa

Por Rafael Cortez às 22h10

Sobre o autor

Rafael Cortez, 33 anos, ator, jornalista e violonista.

Já foi redator de texto erótico para celular, produtor de teatro, circo e TV, assessor parlamentar de uma vereadora de São Paulo, atendente de videolocadora, organizador de mais de 60 festinhas infantis e tem DRT de Palhaço. Gosta de Nara Leão, Public Enemy, lasanha e que cocem suas costas com as unhas. Está na TV como um dos repórteres do programa CQC, da Tv Bandeirantes.

Sobre o blog

Espaço para textos reflexivos, ácidos e que busquem alguma inteligência. Local para reflexões artísticas e culturais diversas. Não, aqui você não encontrará fofocas sobre o meio das celebridades. Não, aqui você não verá piadas a todo tempo... Mas se o autor se esforçar, você poderá ler alguma coisa boa. E contribuir comentando com algo melhor...

Histórico