Blog do Rafael Cortez

03/04/2009

Reunião de Pauta com o Loreno

Por Rafael Cortez às 22h20

31/03/2009

A incrível farsa do produtor incompetente

 

era para ter ido ela...

 

 

 

mas eu chamei ELA!

 

 

Dia da mentira, 01 de abril.

Hora de revelar uma das minhas maiores farsas, encoberta por anos e só agora revelada.

A atriz da TV Globo Lília Cabral nunca foi convidada para ir ao programa televisivo “Em Revista”, de Evê Sobral – programa esse que era produzido por uma leva de jovens inexperientes e, apesar de bem-intencionados, incompetentes.

Um dos produtores era eu. O ano, 1999. Tudo era veiculado pelas TV Gazeta e Rede Mulher de Televisão. Minha missão era chamar pessoas famosas para permanecer batendo papo com o Evê durante todo o programa. Esses convidados assistiam às apresentações musicais (de “Os Travessos” a “Joanna”...), degustavam comidinhas feitas na hora, assistiam a incontáveis anúncios de publicidade no palco, conversavam uns com os outros sobre temas polêmicos como “assombrações” e faziam, óbvio, suas próprias divulgações pessoais.

Ocorreu que o programa de dada semana estava sendo fechado e ainda não tínhamos nenhum nome de peso. Naquela altura do campeonato, uma quarta-feira sem ninguém fechado e um programa ao vivo em rede nacional no sábado, toda a produção estava empenhada em resolver o problema do convidado famoso. Eis que abri a agenda de telefones da produção e vi um nome: Lília Cabral. Liguei para ela e fiz o convite, certo que ela recusaria. Mas a simpática atriz me atendeu carinhosamente e topou de imediato participar.

Chegou o sábado, e toda a produção estava feliz da vida comigo: “Cara, como vc conseguiu acertar a vinda dela? Que irado! Ela é atriz da Globo, super conhecida... em geral a emissora não cede seus artistas assim para outros canais... ninguém questionou? Fora isso, ela mora no Rio e estamos em São Paulo... ela não pediu passagem aérea?” E eu dizia que não, que ela tinha sido bem simpática, que nem citou nenhum problema, e que dentro de mais meia hora eu a pegaria no estacionamento da produtora, como era de praxe no meu trabalho.             

Fiquei lá esperando aquela mulher conhecidíssima e talentosa – meu maior trunfo como produtor. A convidada mais famosa do “Em Revista”, uma conquista de Rafael Cortez!!! Eis que aparece um carrão e dele salta uma mulher loira, com chapéu de vaqueiro, calça apertada e maquiagem em excesso. Ela se dirigiu a mim e perguntou se eu era o Cortez, produtor do Evê. Sim, pois não? “Então, sou a Lílian Gonçalves. Vim para o programa, de acordo com o seu convite”.  

Pedi um minuto, corri até a sala de produção e olhei na nossa agenda de contatos: onde estava escrito Lílian Gonçalves eu, idiotão distraído, li Lilia Cabral. Só aí me dei conta: no desespero de fechar logo alguém para o trabalho ao vivo, entendi um nome errado e fiz o convite à empresária que é conhecida em São Paulo como “a rainha da noite”. Filha do falecido cantor Nelson Gonçalves, dona de um complexo de bares e restaurantes na Santa Cecília, onde se destaca o “Biroska”.

Gelei. Como contar a ela que o convite não foi feito pensado em seu nome? Como contar a toda galera do trabalho que eu cometera um vacilo tremendo, que certamente me custaria o emprego?

Pedi que esperasse uns minutos na recepção. Corri para o banheiro e fiquei me lamentando em voz alta, trancado no box, pedindo um milagre.

Resolvi agir com naturalidade e esconder minha incompetência até o fim. Subi até a sala do nosso diretor e disse, com a maior cara-de-pau, que a Lília Cabral tinha acabado de ligar e dito que não poderia mais ir ao programa... estava doente. Mais: eu, no espírito de resolver qualquer problema e mostrar toda minha eficiência, liguei em seguida para uma personalidade que deixei a todo tempo em stand-by para uma emergência como aquela. E ninguém precisava se preocupar porque a Lília Cabral não apareceu... mas eu trouxe a Lílian Gonçalves! Palmas para mim!

Com pouco mais de uma hora para a transmissão começar, ninguém questionou muita coisa. Ficou claro que o povo não gostou da história e duvidou da veracidade. Chegaram a me questionar se confundi as Lilians. Respondi com muita indignação à suspeita. E eu lá sou moleque???? Os redatores foram os que mais odiaram a mudança – tiveram de refazer dezenas de fichas.

A Lílian Gonçalves arrasou na participação. Foi espirituosa e não desconfiou de nada. Fiquei a todo tempo colado nela, de modo que nenhuma outra pessoa da nossa equipe pôde confirmar se ela fora ou não convidada de última hora.

Na semana seguinte, meus chefes pediram esclarecimentos maiores. Queriam remarcar a Lilia Cabral para outro programa e, pelo menos, receber um pedido formal de desculpas dela. Não se fura uma ida a um show televisivo ao vivo assim, de última hora.

Todo dia eles pediam o contato dela. A agenda de contatos da produção passou um tempo misteriosamente sumida. Vai saber... eu, pacientemente, jogava a resolução da história pra frente... puxava outro assunto, desconversava, etc. Na época, todo mundo era muito incompetente para conseguir investigar o caso por fora. Não se produzia TV pela internet, os contatos de artistas não eram acessíveis em sites, cada um resolvia (ou parecia resolver) um assunto de sua área.

Demorou cerca de uns dois meses até esquecerem o caso da Lília Cabral. A agenda de contatos da produção misteriosamente apareceu, mas sem a página com os nomes começados com a  letra L. A Lílian Gonçalves pediu para voltar mais vezes ao programa. Voltou e arrasou em todos. Ninguém mais falou da Lilia Cabral, que passou a ser referida por todos lá dentro como uma atriz furona.

Ninguém nunca soube que ela jamais recebeu nosso convite para ir ao “Em Revista” . E nenhuma pessoa sabia dessa farsa toda... até agora.  

 

Um abraço!

 

Rafa

Por Rafael Cortez às 20h37

Sobre o autor

Rafael Cortez, 33 anos, ator, jornalista e violonista.

Já foi redator de texto erótico para celular, produtor de teatro, circo e TV, assessor parlamentar de uma vereadora de São Paulo, atendente de videolocadora, organizador de mais de 60 festinhas infantis e tem DRT de Palhaço. Gosta de Nara Leão, Public Enemy, lasanha e que cocem suas costas com as unhas. Está na TV como um dos repórteres do programa CQC, da Tv Bandeirantes.

Sobre o blog

Espaço para textos reflexivos, ácidos e que busquem alguma inteligência. Local para reflexões artísticas e culturais diversas. Não, aqui você não encontrará fofocas sobre o meio das celebridades. Não, aqui você não verá piadas a todo tempo... Mas se o autor se esforçar, você poderá ler alguma coisa boa. E contribuir comentando com algo melhor...

Histórico