Blog do Rafael Cortez

30/06/2010

Direto da África - parte 09

Estamos na reta final da nossa viagem pela África do Sul. A Copa está acabando e a coisa vai afunilando cada vez mais. Os jogos agora são decisivos: um fica e o outro roda, não tem outra alternativa. Vamos aos jogos preparados para saudar quem permanece e, do nosso jeito CQC de ser, sacanear um pouco os que voltam pra casa.

Temos um mapinha que atualizamos a cada partida. Mais e mais nosso cronograma e logística de jogos apontam uma possível final entre o Brasil e a Argentina. Já pensaram uma coisa dessas? Será algo histórico, único, o grande duelo. Aqui, cada vez mais, as pessoas compactuam com essa nossa premissa, que não é novidade para ninguém. E olha, quem viver verá. Vai ser foda... Brasil e Argentina. Ambos times dirigidos por ex-craques de Mundiais de outros períodos, ávidos por levantar a taça de novo, mas na condição de técnicos. Ambos, Dunga e Maradonna, precisando da Taça para esfregar na cara de seus múltiplos desafetos, ávidos por essa conquista para redimir suas imagens e calar a boca dos opositores. Muito foda.

No entanto, daqui até o domingo que vem, tem chão ainda... pouco, mas um chão minado! E se o Brasa perde pra Holanda no próximo jogo? Aqui, estamos preparados para tudo. Mas é claro que queremos a Seleção na final.

Por falar em Final, a ironia é que não fico para esse jogo. Volto ao Brasil dia 08 de julho, quinta que vem. É algo já previsto há muito tempo, e se deve às logísticas de equipe e gravações que temos aí com vcs. O Felipe fica e eu espero que ele possa fazer uma matéria onde, ao lado do Lula, Pelé (que chegam na semana que vem), Robinho, Kaká e Dunga (tá, e a irmã do Crespo tbm, já que ela é a Musa da Seleção), levante a taça com todos gritando "CQC!!". Acho que vai ser bem legal.

O fato de voltar antes da final, com a iminência de termos o Duelo do Século nesse dia, brocha um pouco - não nego. Mas já administrei isso com calma e sabedoria desde antes da viagem, de forma que não me entristeço muito mais. Além disso, tá rolando uma vontade de ir embora descomunal. Vou explicar isso pra vcs no parágrafo a seguir.

Essa vontade de voltar não é só minha não. Com todos os jornalistas que cruzo e com quem falo em jogos, treinos e Zonas Mistas, o consenso é o mesmo: tá tudo muito bacana, essa Copa teve grandes surpresas até agora, os jogos tem sido irados, 2010 é uma vez na vida, etc. Mas a África nos esgotou. Creio que os jornalistas mais experientes, aqueles que já trabalharam em diversas Copas, podem atestar melhor o que quero dizer: é lógico que foi e está sendo lindo ver um evento desse porte rolando, pela primeira vez, num Continente que foi tão desfavorecido e num país que sofreu tanto com uma história de segregação, opressão e violência. Para mim, o momento mais lindo aqui foi ver o jogo de estréia da Copa, justo com a África do Sul, na periferia de Soweto com os muitos africanos felizes e orgulhosos que ali estavam. Nunca vou esquecer esse momento na minha vida - a galera parecia ter esperado por aquilo o tempo todo! Mas duas coisas acabaram, e muito, com o astral de todo mundo nessas bandas: 1, a África do Sul rodou cedo e o povo voltou às suas vidas normais. O tesão popular se restringe aos turistas, que vão diminuindo à medida que as Seleções voltam para suas casas. 2, a infra-estrutura saturou de vez.

De fato, de todas as torcidas que vimos aqui, na minha opinião a mais animada e bonita era a da África do Sul. É a casa dos caras, e eles estavam radiantes. A eliminação do time dividiu a galera: muita gente passou a torcer pelas demais seleções africanas, mas essas tbm foram rodando até restar a isolada Gana até aqui. Agora, muitos anfitriões estão na torcida pelo Brasil, e é nos jogos da Seleção que os encontramos animados ao lado. No entanto, no dia a dia, a turma segue suas vidas, e a vida parece que voltou quase que completamente ao normal em Joanesburgo.

Ontem tivemos o dia livre aqui e fiz uma coisa diferente. Depois de acordar tarde, decidi dar um tempo da galera toda e ir almoçar sozinho. E foi bem deprê. Comi no Tívoli, aqui perto, onde já fomos 200 vezes. Antes, na Primeira Fase do Mundial, era lá que se viam mesas entupidas de Mexicanos, Portugueses, Brasileiros e Sul-Africanos. Uma algazarra, uma correria, bem intenso. Bem, ontem só dava eu no salão. Nenhuma mesa ao lado, nada. Fui atendido por uma mulher desmotivada e depressiva, e a comida estava estranhamente ruim. De lá, resolvi dar uma volta no Mandela Square - o já citado Ponto de Encontro Festivo de povos e pessoas. Buenas, foi mais triste ainda. As lojas estavam todas vazias e os funcionários permaneciam na porta dos estabelecimentos, como se fosse a Santana do Agreste de JOrge Amado no dia em que Tieta voltou pra casa. Aos pés da enorme estátua do Mandela, poucas pessoas (brasileiros, na maioria) faziam fotos. Os restaurantes, antes lotados, restringiam-se a umas poucas mesas ocupadas. Enfim, foi deprê. E o dia ainda estava cinzento e feio, de forma a piorar mais ainda a minha impressão de tudo. Parecia Quarta-Feira de Cinzas. A festa acabou e é hora de retomar a vida séria, mas ainda tem uma balada acontecendo até o meio- dia. O Paulo Bonfá e a Soninha Francine já tinham me dito que, na fase das Oitavas e Quartas, o clima das Copas fica tenso mesmo. E como eles
estavam certos!

Agora, quanto a Infra-Estrutura aqui, é o seguinte: tem menos gente na área, logo tudo tende a funcionar melhor. Sim, isso acontece. Mas os Bafanas estão cansados do ritmo anterior e deve ser frustante ver tudo voltar à pacatez. Logo, se por um lado não falta mais a comida que vc queria no almoço, por outro ela chega meio sem sabor, entendem? E tem outra, nenhum estrangeiro aguenta mais!! Todo dia é a mesma comida, o mesmo tempero, as mesmas pessoas, esse clima seco e o tom alaranjado das ruas, um frio grande de noite, as underwears cada vez mais rôtas, a cama cada vez mais pequena, essas coisas... em resumo, adorei e ainda estou adorando a experiência. Obrigado, 4 Cabezas, Band e CQC. Isso tem sido o maior desafio e aprendizado profissional de toda minha carreira até agora. E estou feliz pq as matérias estão entrando bem boas no ar pra vcs. Mas, passados 28 dias de viagem, admito que estou saturado e quero muito voltar para a Vila Madalena, meus shows, meus amigos, minhas pautas, meu CQTeste, minha família e vcs.

Finalizando, quero dizer que estou muito feliz de ir para Cape Town na sexta. Faremos, só a equipe B, o jogo da Argentina e Alemanha. A Cidade do Cabo é litorânea e, como toda cidade que tem o privilégio de ter o mar à vista e à disposição, o astral é 100 vezes maior. Qdo estivemos lá ano passado, no Sorteio das Chaves, o clima melhorou muito, na equipe e nas matérias. Joanesburgo deveria ser um local para se passar alguns dias pouco da viagem, e não a grande maioria do tempo. Fomos a Durban na semana passada fazer o jogo do Brasil e Portugal e, só de mudar um pouco de ares, já foi revitalizante!

Aliás, Durban merece um relato à parte... mas deixo para uma próxima ocasião. Agora é hora de abrir uma cerveja e relaxar.

Um abraço,

Rafa  

Por Rafael Cortez às 18h36

Sobre o autor

Rafael Cortez, 33 anos, ator, jornalista e violonista.

Já foi redator de texto erótico para celular, produtor de teatro, circo e TV, assessor parlamentar de uma vereadora de São Paulo, atendente de videolocadora, organizador de mais de 60 festinhas infantis e tem DRT de Palhaço. Gosta de Nara Leão, Public Enemy, lasanha e que cocem suas costas com as unhas. Está na TV como um dos repórteres do programa CQC, da Tv Bandeirantes.

Sobre o blog

Espaço para textos reflexivos, ácidos e que busquem alguma inteligência. Local para reflexões artísticas e culturais diversas. Não, aqui você não encontrará fofocas sobre o meio das celebridades. Não, aqui você não verá piadas a todo tempo... Mas se o autor se esforçar, você poderá ler alguma coisa boa. E contribuir comentando com algo melhor...

Histórico